#DiáriodaLacraia: Dez dias na Praia

By Amanda Crônica - 19:30

Essa semana, ou melhor, nos últimos 10 dias, estive um pouco sumida. Motivo: fui pra praia e não deixei nenhum post programado porque eu sou rebelde u.u
Como eu raramente falo de mim aqui nesta praga, resolvi falar sobre essa viagem e postar algumas fotos aqui.

O negócio é o seguinte: meus dindos (pra quem não é do RS, padrinhos), têm uma casa na praia e quando chega o verão vão pra lá e convidam o resto da família pra ir com eles também. Ano passado eu não pude ir porque eu tava trabalhando, mas como esse ano eu tô desempregada, eu pude ir (um dos poucos benefícios de se estar desempregada é o tempo livre). 
E tem um outro detalhe: eu só tinha ido pra praia duas vezes na vida, uma quando eu tinha 4, e outra quando eu tinha 8 anos (mas era inverno, foi numa viagem que eu fiz com a minha vó pra São Paulo pra visitar um tio meu, era só pra tirar foto e ir embora).
E eu, que nem sou ansiosa né, fiz as malas praticamente uma semana antes de ir (kkkk). Se liga nas muamba:


Minha irmã tinha dito que lá o vento é gelado, e como eu sou muito sensível ao frio mas também passo calor (afinal, sou um ser humano), coloquei 3 calças, 3 vestidos, duas blusas, dois shorts e uma jaqueta. Fora o resto das inutilidades, hahahaha.

A saída era pra ser às 9h do dia 09 de fevereiro, e realmente, foi nesse horário que os dindos buscaram eu e minha irmã pra ir na casa deles (sim, ainda tinha as tralhas dela). Mas tinha um porém: a casa ainda estava/está em obras (quase pronta), então além de arrumar as malas deles, eles ainda tinham que colocar algumas coisas num reboque na caminhonete. Então eles nos levaram pra casa deles pra todo mundo arrumar tudo junto (fora eu, que ofereci ajuda mas não deixaram eu participar muito porque eu tava me recuperando de duas cirurgias de unha encravada, uma em cada dedão do pé, e se batesse ou caísse algo encima ia dar merda). E ainda tinha 3 cachorros que iam junto na viagem porque não tinha com quem deixar (e não dá pra deixar os dog passando fome pelo que seria uma semana, né?).

AZAR NA VIAGEM DE IDA:
Ok. Saímos lá pelas 13h da tarde (eu acho), e quando estávamos quase chegando em Quintão, onde era a casa na praia (eram 3h de viagem a princípio), o pneu do reboque furou (não sei se o dianteiro ou o traseiro). Descobrimos porque eu ouvi um barulho estranho, como se o dindo (que tava dirigindo), tivesse tirando o pé da embreagem bem devagar pra arrancar (que é como ensinam nas auto escolas: quase apague seu carro e force bem a embreagem na hora de arrancar o carro). Mas ele não tava arrancando o carro pra eu sentir aquela tremida, então falei. Ele estacionou o carro no acostamento.
Primeiro pedimos ajuda pra uma brigada (eu acho) que estava passando, mas eles estavam ocupados com uma ocorrência e recomendaram o número 192. Aí o dindo ligou pro 192 e descobriu que estava com uma parcela do seguro do reboque vencida, e por isso recusaram ajuda. 
Como o 192 nos deixou na mão, o dindo ligou pra um amigo dele que mora na frente da casa deles em Quintão, pra pegar um pneu emprestado. Ele demorou mais ou menos 1h pra chegar (fora que deu um puto temporal e a gente tava embaixo de várias árvores, então imagina no que tava todo mundo pensando, né? Ainda bem que deu tudo certo).
No caminho, passamos numa borracharia, eles compraram um pneu novo e eu aprendi umas liçõezinhas:

1. Se o carro treme e faz barulho durante a viagem, é porque deu alguma merda #óbvio
2. Nunca esqueça o estepe
3. Nunca esqueça de pagar nenhuma parcela do seguro (em defesa do dindo, ele tinha outras coisas pra resolver na vida e tinha certeza que tinha pago todas).

CAGADA NA LOTÉRICA
Fora esse azar, só fiz uma merdinha dia 15: eu precisava sacar o seguro desemprego e lá onde a gente tava, só tinha lotérica no centro (mas o centro era perto do nosso bairro). Eu tava aproveitando a viagem porque a dinda tinha que levar a Jéssica e o Herrick (minha melhor amiga que eu não via há dois anos e o marido dela, com quem ela mora em Santa Cruz do Sul) na rodoviária pra comprar passagens pro dia seguinte (eles iam embora na sexta). Detalhe: a Jéssica também é afilhada da dinda e elas são bem íntimas, por isso ela tava na viagem também (antes que alguém pense que eu fui folgada a ponto de levar mais gente na viagem). Sim, eu e ela temos sorte (pelo menos nesse detalhe da vida).
Chegando lá, um calor desgraçado, tinha 40 pessoas na minha frente na fila (a dinda fez questão de contar). E quando finalmente chegou minha vez, percebi que tinha levado o cartão do Sus em vez do cartão cidadão. #Inteligência #TomaImbecil
Mas como no dia seguinte a dinda tinha que levar a Jéssica e o Herrick  na rodoviária pra ir pra casa, ela me cedeu uma segunda tentativa na lotérica. Porém, a lotérica do centro estava fechada e só abria às 14h (era 11h e já tinha fila), e a outra só abria 13h30.
Aí fomos em Pinhal (claro, deixamos a Jéssica e o Herrick na rodoviária primeiro), e lá só tinha 15 pessoas na minha frente. Dessa vez deu tudo certo.

Agora algumas fotos:

A morena, à direita, é a Jéssica. E a loira, à esquerda, com cara de chapada, sou eu (mas acho que vocês já sabem, né?).

Essa é a minha irmã, Julia (pensando em comida, talvez).

Essas são algumas fotos que eu fui tirando pela casa.

Essas quatro fotos são de quando a gente foi ver o farol da praia. 
Na foto de baixo, à esquerda, é dentro do farol: essa escada não tem corrimão e é em espiral, lá pro topo. Não tinha porta de entrada nem nada, era apenas um buraco que os cidadãos de bem abriram sabe-se lá como. Me arrependi de não ter entrado no buraco pra tirar uma foto da escada por dentro, mas quando eu percebi a gente tava voltando e nem a pau eu ia voltar só pra tirar uma foto (a caminhada foi mortalmente cansativa pra mim, e as dunas eram bem íngremes pra caminhar).
Na foto de baixo, à direita, é o farol visto de longe, óbvio.
E nas duas de cima são as dunas perto do farol, óbvio também.

O de trás é o Herrick, e a da frente é a Julia. Era a primeira vez que íamos pra praia naquela semana, então não nos tocamos que não precisava de short nem nada: a praia é a 5 casas da casa da dinda, dava pra ir de biquíni mesmo, pra não ter que tirar o short lá e ter uma coisa a menos pra lavar depois.

E por fim, uma foto da praia. 
No começo, todos íamos embora na sexta, mas como a dinda ainda queria fazer umas coisas na casa (que apesar de quase pronta, estava em obras ainda), acabamos ficando até o final do domingo.
E parece que foi ontem que eu tava botando um ovo pra ir pra lá. Parece que foi ontem que eu tava pensando em como ia ser, e em rever minha melhor amiga. Parece que foi ontem que a gente tava parado no acostamento da estrada, esperando ajuda no meio de um temporal.
Mas é bom estar de volta, rever os pais, dormir na minha própria cama, no meu próprio quarto, voltar a procurar emprego (me desejem sorte, porque tá foda), voltar a ter sinal de internet e celular (que lá só tinha pra Vivo, e um pouco pra Claro, e eu sou da Oi).
E é isso aí, talvez ano que vem tenha outro post sobre a praia.
Ah, e não: na volta não furou pneu nenhum, deu tudo certo.

PRA FINALIZAR O POST, ALGUNS MEMES DA VIAGEM (ELES NÃO ESTÃO EM ORDEM CRONOLÓGICA):
1. Desculpa: Eu sou um pouco envergonhada quando eu vou na casa de outra pessoa (mesmo se for da família), porque eu fico pensando em não incomodar porque eu também não quero visita chata na minha casa (é o velho "não faça aos outros o que não quer que façam a você"). Aí toda hora eu pedia desculpa por qualquer coisa. E todo mundo tava contabilizando isso e rindo (inclusive eu, que achei graça também mas não consegui largar a mania).
1.2. Desculpa até pro cachorro: Eu dividi quarto com a minha irmã e meu primo, e minha cama era um colchão no chão (mas como ele era bem grosso, acabou sendo mais confortável que a minha cama). Teve uma hora que o cachorro menor dos dindos ficou empoleirado na minha cama bem na hora que eu ia dormir, me impedindo de me esticar, e eu ficava dizendo "saai, saai, saaai daqui" e empurrando ele de leve. Até que uma hora ele rosnou e eu respondi pra ele "ui, desculpa". Minha irmã e meu primo se mataram de rir e eu ri junto.
2. Lixo Orgânico: Era minha vez de lavar a louça e observando a pia, eu não percebi se tinha algum lixinho pra colocar os restos de comida que ficaram no prato. Aí eu perguntei "tem algum lugar que eu possa colocar esse lixo orgânico?". Bem Sheldon falando, todo mundo riu.
3. Medo do mar: Antes de ir pra praia, minha vó aconselhou "cuidado pra não se afogar no mar", e eu ironizei "ah, sim, vamos tentar atravessar o oceano de certo". Como eu não tava acostumada com o mar, me assustei com as ondas me empurrando de um lado para outro (mesmo elas sendo pequenas). Resultado: no primeiro dia, fiquei segurando a mão da minha irmã (que tem 15 anos e é 7 anos mais nova que eu) por medo de cair no mar, e até na hora de sair do mar eu fiz ela me levar para a beira. Viu, Amanda? Bem feito, ninguém mandou ser sarcástica com a tua vó (antes que pensem que eu sou uma vaca, vou dizer que todo mundo na família é sarcástico e ama uma patada, então isso não costuma ser levado em conta com muita frequência).
Mas o final foi feliz: eu enfrentei meu medo e no final da semana eu já ia no mar sozinha e bem de boa, apesar de não ir muito longe e não querer nem sentar por medo de me afogar.
4. Caralho, que frio: Eu também não tava acostumada com maresia e ventania de beira de praia, então só dava eu de calça e jaqueta no meio de um monte de gente de biquíni. Não, eu não entrei no mar de moletom rsrsrs (mas deu vontade, aquela água tava muito gelada).
5. Deeei: Essa aqui é pra +18: tava eu entediada, suspirando "aaaai". Meu primo completou com "beeei", e eu fui completando "ceeei" até chegar no "deeeei". Segundos depois eu me toquei e tive um ataque de riso, junto com a minha irmã que tava perto e meu primo, que adorou me trolar.
6. Falando de reprodução perto de homens: Eu e a Jéssica estávamos fofocando no quarto, e digamos que essa fofoca também era pra +18. Meu primo tava na cama ao lado deitado até que eu soltei "acho que ele gozou nela e mentiu que não gozou" e meu primo, agonizado, berrou: "caaala a boca, Amanda".  
Só pra vocês, homens, saberem, nós mulheres também falamos de sexo kkkkkk (e não, isso não foi uma indireta pro meu primo, por mais que tenha parecido).
7. Foguei o limpão: Era a vez da minha irmã de lavar a louça (acho), e no caso dela, isso incluía limpar o fogão. Ela quis dizer: "depois que eu limpei o fogão eu achei o desengordurante" (pros confusos e confusas, ela tava usando detergente), mas falou "depois que eu foguei o limpão" e se matou de rir. Como eu tava no quarto, ela subiu lá encima pra me contar e ainda ficou se atropelando com a risada de hiena dela, o que fez com que eu risse também. Mas da risada dela.
Para de me olhar como se eu fosse uma pessoa cruel.
8. Sou muito cagona: Tava toda a casa comendo pão com ovo (menos a Jéssica e o Herrick, que já tinham ido embora), e eu percebi que eu tinha deixado cair muito farelo na mesa. Aí, enquanto limpava, comentei "aff, vou ter que limpar isso aqui, eu sou muito cagona". Todo mundo ficou tipo: "como assim, cagona?". E eu expliquei: "faço cagada em todo lugar que eu vou".
Um fato sobre mim: minhas piadas geralmente são nesse nível aí, bem toscas.

  • Share:

Vc pode gostar tbm:

1 comentários

  1. Oia eu lá em cima :) , nossas férias foram ótimas né , foi ótimo ter nos vistos ficado juntas né , nem sempre podemos , mas sempre damos um jeito de se falar se encontrar , se apoiar , fazer drama hahah muito drama até , aprender uma com a outra , acho que amizades são assim as vezes brigar mas pedir desculpa <3 o que dizer das nossas férias foi top u_u

    ResponderExcluir

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.